domingo, 26 de abril de 2020

ORAÇÃO DA CASA



Nasci mineira
Pequenina
Em torno de mim
algumas outras
como eu assim

Dentro de mim
sorrisos e interrogações
Das minhas janelas abertas
um mundo familiar


Devagar meus apêndices cresceram
dentro de mim rumores continuaram
São Jerônimo e Santa Bárbara,
em noites de tormenta,
me protegeram.


Aromas doces habitaram em mim
Cresci mais um tanto
Reformei-me em candura
De repente amadureci


Estou vazia
Na minha solidão,
Pessoas vagueiam.
Fui Maria
Fui José
Fui a trindade cristã


Envelheci
As lembranças me sucumbem
Preciso de ti
Ainda tenho histórias pra contar
Não me deixe morrer


Hoje te peço:
Volte!
Tome meu corpo
Penetre nas minhas entranhas
Cuida de mim

Daqui ainda ouço os sinos
Fazenda das Carreiras,
Itatiaia,
Lavras Novas,
Santa Rita.


Daqui ainda vejo o ouro
Ouro Branco
Ouro Preto


Mas de que me vale a liberdade
Se ainda estou presa a ti?



Abril/2020
Este poema foi escrito para o 17° Abril Poético do grupo LESMA Poesia de Conselheiro Lafaiete cujo tema neste ano foi "300 anos de Capitania de Minas Gerais". Neste ano de pandemia, o evento tem sido realizado de forma digital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário