domingo, 22 de março de 2020

DELICADEZAS NO ENTREMEIO DO CORONAVÍRUS -- III



História infantil – “A menina que vestiu de alface”


Esta história aconteceu há muitos e muitos anos numa cidadezinha do interior do reino encantado chamado Brasil.

Havia neste reino uma família muito pobre mas muito feliz. O pai trabalhava o dia todo e a mãe, que ficara doente, não podia cuidar dos filhos.

E eram muitos filhos.

Um dos meninos mais velho levantava muito cedo e ia pegar pães na padaria longe de sua casa para vendê-los nas ruas da cidade. O outro menino levava marmitas para os trabalhadores numa mina de manganês muito longe de sua casa. Os outros dois meninos ainda eram bem pequeninos e ficavam em casa.

A irmã mais velha tinha só 15 anos e tomava conta deles. Ela também arrumava toda a casa. Acho que por isto ela era tão brava.

A outra filha era mais nova e tinha que cuidar da lavação do banheiro. E ela cuidava direitinho.

E ainda tinha outra filha. Esta vivia no mundo da lua. Ou seja, vivia lendo histórias dos planetas, das estrelas e de tudo que conseguia pegar na biblioteca da escola. O nome desta filha era Aninha.

Um dia a professora da Aninha disse que haveria uma semana de lições na escola sobre alimentação saudável. Falou também que haveria um teatrinho no último dia.

A menina que gostava de participar de tudo também quis estar no teatro.

Na peça do teatro cada aluno deveria ir vestido de uma fruta, de um legume ou de uma verdura.

Aninha foi sorteada para ser um pé de alface. Achou aquilo muito esquisito. Ela seria um pé de alface?


Prestou bastante atenção nas explicações da professora sobre a importância daquelas folhas tão sem sabor.

Aprendeu que não é o alface, mas a alface. Aprendeu também que a alface tem várias vitaminas e sais minerais importantes para nossa saúde.

Porém como vestir-se de uma alface? E como o pai, que não tinha dinheiro, iria comprar alguma coisa para fazê-la parecer uma alface?

Aninha ficou muito triste.

Foi então que a mãe, mesmo adoentada, levantou-se da cama e foi para a sua máquina de costura.

Comprou um tecido da cor verde parecida com a folha de alface. E ela o vestido mais lindo que a menina já havia visto.

A menina desfilou com sua roupa de alface e sentiu-se a folha mais importante dentre todas as verduras da horta.

Depois deste dia aconteceram duas coisas muito importantes na vida de

Aninha: a mãe dela voltou a costurar e a cuidar da casa e Aninha passou a gostar muito das folhas de alface e de todas as verduras que o pai dela plantava na horta do fundo do quintal de sua casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário